Não Foram Vocês Que Me Escolheram…


 “Não me escolhestes vós a Mim, mas Eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto em Meu nome pedirdes ao Pai, Ele vos conceda.” João 15:16  


Um homem sábio escolhe voltar-se para Deus.
Apesar de não vermos Deus com os nossos olhos físicos, não somos impossibilitados de vê-Lo através da Sua Criação, da Sua operação na Natureza e nas nossas vidas. Será que ainda ficamos indiferentes ao que nos rodeia, insensíveis à beleza da Criação e aos talentos criativos de um homem entregue nas mãos de Deus? Se formos honestos, perceberemos que Deus está “em tudo”.

A Sua Presença, a Sua mão, está no controlo absoluto de todas as coisas!
Até mesmo naquelas situações que nos levam a questionar a Sua ação, concluímos que não somos mais do que “barro” na roda do Oleiro onde somos diariamente trabalhados por Ele e para Ele!

As escolhas são sempre pessoais. E há gostos para tudo! Em muitas das nossas escolhas, só nós sabemos qual é a razão ou o motivo por que as fizemos. Algumas são-nos impostas pelas circunstâncias, mas, na sua maioria, somos nós os responsáveis. Mas aqui Jesus fala franca, honesta e frontalmente com os Seus discípulos: “Não me escolhestes vós a Mim…” Jesus não disse essas palavras com desapontamento, tristeza ou magoado, mas revelando a Sua benignidade e bondade para com eles.

Deus conhece-nos muito bem! Devem ser muito poucos os homens e mulheres que desde muito cedo desejaram de todo o coração, pertencer a Deus. Nós nascemos neste mundo em completa oposição aos princípios divinos.

Mas mesmo assim, pelo facto de alguns de nós não O conhecermos, Deus foi pondo a Sua mão na nossa história de vida, ao longo dos anos, e mais tarde, e pelas mais diversas razões, nos resgatou da nossa vã maneira de viver… Aí, Ele começou a se revelar verdadeiramente ao nosso coração, e foi abrindo os nossos olhos espirituais para reconhecê-Lo. A Sua Luz brilhou e brilhará sempre na escuridão onde nos encontrarmos.

Todos nós sabemos, e alguns já experimentaram da forma mais dolorosa, o que é ser preferido em lugar de outro… Não como não tendo sido uma primeira escolha, mas pelo facto de nem termos sido escolhidos… Mas de uma coisa podemos ter a certeza: Para Jesus, nós nunca passámos despercebidos! Ele escolheu-nos e espera uma resposta da nossa parte.

…Mas Eu vos escolhi a vós…”. Disse Jesus.

Pensemos em como os discípulos se sentiram privilegiados quando Jesus lhes disse isto! Que sublime facto terem sido escolhidos! Mesmo que sejamos incapazes de o perceber, na nossa humanidade, o porquê, é bom que também nos sintamos honrados e recebamos com humildade essa dádiva divina.

A forma corrente da palavra “escolha” significa: Tomar para si, colher para si, adquirir, escolher para si, optar por algo.
E Jesus fez isso! Todos os cristãos gostam da passagem da Carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios:

“Porque vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas DEUS ESCOLHEU as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e DEUS ESCOLHEU as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes. E DEUS ESCOLHEU as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie perante ele.” 1 Coríntios 1:26-29

Se temos de nos gloriar nesta escolha, temos de nos gloriar no Senhor!

A Igreja foi chamada à existência quando Jesus disse: “Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Mateus 16:18. A Igreja é formada por pessoas comuns.

Vejam o “aspeto curioso” que ela possui! “Não são muitos os sábios, nem muitos os poderosos, nem muitos os de origem nobre…” Apesar de não serem muitos, eles também são encontrados nela! Uma vez que Deus não faz aceção de pessoas, a Sua Igreja está composta de todo o tipo de pessoas, pois são todos chamados a serem santos, separados com zelo, para Ele!

O Apóstolo Paulo descreve assim, “À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso.” 1 Coríntios 1:1

A composição da verdadeira Igreja não corresponde a “desejos” e “interesses humanos”. Quem não preferiria pertencer a uma igreja magnífica e imponente, na qual se pode apontar para uma série de pessoas famosas? Provavelmente muitos! Mas isso não é o mais importante. O relevante é percebermos que a escolha feita por Jesus tem objetivos mais nobres e eternos. É a ESCOLHA PERFEITA!

Aqueles que são escolhidos e nomeados, Jesus confia-lhes uma mensagem para transmitirem a outros… Jesus deseja que deem muito fruto, e que esse fruto permaneça…

Em Cristo, o homem e a mulher de Deus frutifica todo o tempo. Não é por épocas ou estações, porque esta frutificação não é natural, mas sobrenatural! É desde a Primavera aos Invernos da vida. E Jesus acrescenta, “…Toda a vara, em Mim, que não dá fruto, é tirada…” João15:2

A frutificação boa da vida do seguidor de Cristo é para manifestar e permanecer a glória de Deus neste mundo! Não é para que o homem fique orgulhoso do que foi tomando posse ao longo da sua vida, mas para que, sem arrogância ou altivez, veja que foi alvo da graça e misericórdia divina. Que também é um dos escolhidos a frutificar até que seja tirado deste mundo!

É grande o privilégio ser um escolhido ou uma escolhida de Deus! É apenas um canal de bênção na vida de outros, mas a glória será sempre do Senhor, porque foi Ele que nos escolheu, e não nós a Ele. Que nunca caiamos na situação embaraçosa dos descritos em Mateus 7:19-23!
Tu foste escolhido por Deus para frutificar bem até ao fim, estando Nele. Não desistas!

J.F.

Related Posts

No Comments


Recent

Categories

Archive

 2020

Tags