Que Poderá Deus Fazer Contigo?

O Evangelho revela não somente quem Deus é, mas o íntimo do coração dos homens. E Atos dos Apóstolos é um livro bíblico, histórico, que no capítulo 8 mostra o íntimo de três homens. A razão desta meditação é para que tenhamos tempo para nos revermos nas pessoas que vamos contemplar.

O PRIMEIRO homem é Saulo, que revela grande religiosidade e crueldade. “E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo…. E também Saulo consentiu na morte dele…. E Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão…

E Saulo, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao Sumo-Sacerdote e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns daquela seita, quer homens, quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém.” Atos 7:58; 8:1,3; 9:1,2

Saulo era um jovem culto que manifesta sentimentos muito pouco condizentes com a sua idade e com o que aprendera. Este jovem consentiu, (aprovou), com a morte de um cidadão que proclamava o reino dos céus, Estêvão, que captava a atenção das pessoas, não somente por aquilo que testemunhava, mas pela maneira como o fazia, cheio de sabedoria e do Espírito Santo.

A manifestação popular contra ele foi injusta e sem quaisquer escrúpulos. E este jovem, Saulo, que embora pertencesse ao Sinédrio judaico, não manifestou qualquer tipo de misericórdia no linchamento de Estêvão, só por ser seguidor de Cristo.

A maldade dos ímpios não suporta aqueles que de coração sincero e amoroso manifestam o seu amor para com Deus através da sua piedade. As trevas não suportam a Luz. E nesse tempo de Atos, tudo quanto dissesse respeito a Jesus, a uma nova mentalidade, a uma nova vida com Ele, era para os ímpios e para os religiosos da época, digno de morte. Eles queriam controlar naturalmente aquilo que era sobrenatural.

E este jovem Saulo, que era estudante religioso de alto nível, também odiava esses primeiros cristãos. Há na sociedade aqueles que são indiferentes à fé, mas há outros que simplesmente não suportam o porte e a felicidade daqueles que amam e seguem Jesus sinceramente.

E “Saulo assolava a Igreja. Arrastava homens e mulheres e os encerrava na prisão.” Ele não estava satisfeito apenas com a perseguição que estava a ser feita em Jerusalém, e “respirava ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor…”

Há um efeito do fanatismo religioso que leva à perseguição de tudo o que ameace ou incomode a sua religiosidade. E só ficarão satisfeitos e pensarão estar a fazer um “bom trabalho”, quando destroem a fonte dos seus medos. Neste caso não era queimarem ou destruírem os evangelhos escritos, (pois não os havia ainda), mas aqueles que proclamavam a Palavra de Deus, o Evangelho, com os sinais, prodígios e maravilhas que os acompanhavam.

O SEGUNDO homem é Filipe, que revela grande amor a Deus e ao próximo, até para com os inimigos.  “Mas os que andavam dispersos iam por toda parte anunciando a Palavra. E, descendo Filipe à cidade de Samaria, lhes pregava a Cristo.

E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia, pois que os espíritos imundos saíam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados. E havia grande alegria naquela cidade.” Atos 8:4-8

Depois da morte de Estevão, Filipe e tantos outros cristãos foram perseguidos. Houve uma grande dispersão de homens e de mulheres que tiveram de sair de Jerusalém. Esta situação pode-nos levar a pensar que foi mau para a Igreja de Jesus, mas não! Apesar das muitas mortes, as boas novas do Evangelho foram-se espalhando cada vez mais… O objetivo era chegar até aos confins da Terra.

Desde o dia de Pentecostes a Igreja foi cheia do poder do Espírito Santo para se firmar na fé e ser capacitada para ir, em cumprimento à Comissão de Jesus. E foi precisamente isso que aconteceu com Filipe. O poder de Deus era tão grande sobre Filipe, e o amor de Deus constrangeu-o de tal maneira, que ele sentia um desejo enorme de transmitir essa mensagem ao povo que ainda não conhecia Jesus.

Filipe desceu a Samaria, ao povo inimigo dos judeus, e a quem os judeus não perdoavam os danos passados, por questões culturais e espirituais. Mas isso não foi impedimento para que Filipe, por amor a Deus, desejasse o bem deles… E o resultado ficou manifesto na Bíblia.

Quem experimenta o amor de Deus na sua vida, sabe que a mesma Graça que nos alcançou a nós, pode alcançar perfeitamente os outros também, e isso gera uma consciência plena do perigo daqueles que podem morrer sem terem experimentado a salvação de Cristo.

Mesmo depois da obra feita nesta cidade, Filipe foi enviado por Deus para outros lugares, e o capítulo termina com as seguintes palavras: “E Filipe se achou em Azoto e, indo passando, anunciava o evangelho em todas as cidades, até que chegou a Cesareia.

As Boas Novas do Evangelho são para serem anunciadas a todos, e o nosso amor a Cristo nos constrange a fazê-lo. Filipe deixou-se guiar pelo Espírito Santo para que o levasse onde quer que fosse enviado. E Filipe teve experiências espirituais maravilhosas, porque quem age por amor ao Senhor e ao próximo, sempre é surpreendido por Deus no percurso da sua vida e animado a prosseguir.

O TERCEIRO homem é Simão, que deseja mais os dons de Deus, (a qualquer custo), do que ao próprio Deus. “E estava ali um certo homem chamado Simão, que anteriormente exercera naquela cidade a arte mágica e tinha iludido a gente de Samaria, dizendo que era uma grande personagem;… E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou, de contínuo, com Filipe e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atónito…

E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos Apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro, dizendo: DAI-ME TAMBÉM A MIM ESSE PODER, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo.” Atos 8:9,13,18,19

O evangelho jamais deve ser utilizado pelo homem como uma porta para a sua projeção pessoal. Mas infelizmente isso tem acontecido na vida da Igreja, quando líderes e crentes liderados são de fraco carácter e buscam mais os dons de Deus do que amar a Deus. Os dons, sem amor, nada valem. E o amor é dado a todos por igual, mas nem todos o buscam.

 Este não é um problema dos tempos antigos, mas de todas as épocas. O evangelho tem sido usado muitas vezes como meio de enriquecimento e projeção pessoal ou congregacional. Nas páginas do Novo Testamento, este tipo de pessoas aparece como “cogumelos venenosos” no meio do povo de Deus, devido à sua ganância, egoísmo e soberba.

Acabam por não manifestarem qualquer temor de Deus, e, sem escrúpulos, causarem divisões, espoliações, vanglórias que danificam a Obra de Deus. É triste e até pode ser fatal, o facto de alguém envergonhar o Evangelho.  

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele Dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em Teu nome? E, em Teu nome, não expulsamos demónios? E, em Teu nome, não fizemos muitas maravilhas? E, então, lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.”
Mateus 7:21-23


Enquanto é tempo, convém cada um contemplar-se no “espelho” e rever-se nas personagens bíblicas, que estão lá colocadas por Deus com as suas virtudes, defeitos e pecados, para que saibamos que qualquer homem, ao se tornar consciente da sua iniquidade, ao se arrepender verdadeiramente perante Deus, com frutos dignos de arrependimento, sirva para edificação de toda esta Obra, que é a mais grandiosa, sublime e eterna, que pode haver sobre a Terra.

Os ímpios perecerão… Os justos vivem aqui com Deus e desfrutarão da Sua glória por toda a eternidade.

Deus transformou o coração e a mentalidade de Saulo, um assassino cruel, para levar o Evangelho aos gentios.

Consegues imaginar o que Deus poderá fazer contigo?

Related Posts

No Comments


Recent

Categories

Archive

 2020

Tags